BRE: A FORMAÇÃO PARA A VIDA APOSTÓLICA SCJ III: Experiência e princípios da Congregação

A FORMAÇÃO PARA A VIDA APOSTÓLICA SCJ III: Experiência e princípios da Congregação 

dehonianos

A nossa Congregação reconhece que a sua vitalidade, a fidelidade à missão que lhe está confiada na Igreja e no mundo, a qualidade criativa do seu serviço apostólico e a própria verdade da nossa consagração religiosa dependem da formação dos seus membros[1].

Olhando para a nossa história vemos que a formação sempre foi tema das preocupações e orientações da Congregação. O próprio Padre Dehon se destacou pelo empenho em formar sacerdotes, religiosos, leigos e jovens para responderem eficazmente aos desafios pastorais que se apresentavam à Igreja da época. O seu compromisso de formar a pessoa na verdade e na caridade inspirou e inspira a nossa formação numa linha integradora na qual o candidato é acolhido para fazer um caminho de crescimento humano e espiritual a fim de se colocar a serviço da missão.

DehonSeguindo a inspiração do Fundador, os Capítulos Gerais da Congregação, sobretudo com o impulso renovador do Concílio Vaticano II, insistiram na necessidade de uma formação específica, adequada à realidade contemporânea e às novas exigências apostólicas. Podemos dizer que todos os projetos de animação da Congregação dos sucessivos Governos Gerais assumiram a formação como uma prioridade.

“Desse modo, a nossa Regra de Vida sublinha a importância de uma formação fundada sobre o que constitui a identidade do Instituto”[2], respondendo com criatividade e originalidade aos desafios de cada momento histórico. “Para nós, o conteúdo da formação SCJ implica uma aceitação pessoal e comunitária das orientações da Regra de Vida, nomeadamente das Cst. 16-18, a respeito do testemunho a dar ao mundo do amor do Coração de Jesus e da união de toda a nossa vida à sua oblação reparadora ao Pai em favor dos homens”[3].

Fraters turma de noviciado 2011A formação dos novos dehonianos, bem como a formação permanente dos que já são membros professos, é pautada pelas nossas Constituições e pelo Diretório Geral que juntos formam a “Regra de Vida SCJ”. Na terceira parte das Constituições intitulada “A iniciação à nossa vida religiosa” (Cst 86-105) encontramos os princípios gerais que orientam a nossa pastoral vocacional, a apresentação dos vários aspectos da nossa formação e o perfil da pedagogia de incorporação progressiva na Congregação. Já o Diretório Geral, que textualmente é paralelo às Constituições, apresenta a nossa legislação própria correspondente aos princípios inspiradores.

Com o intuito de concretizar um itinerário pedagógico tipicamente dehoniano inspirado na nossa Regra de Vida a Congregação possui a “Ratio Formationis Generalis”[4](RFG). Esta se constitui instrumento a serviço da unidade da formação na diversidade das nossas Províncias, Regiões e Distritos[5]. Neste sentido a RFG é o projeto formativo global da nossa Congregação. Nela nós temos uma proposta de autêntica formação a um desenvolvimento humano integral e aos valores evangélicos da Vida Religiosa dehoniana. Para efetivar esta RFG, que é válida para toda a Congregação, temos as “Rationes Formationis” Provinciais, Regionais e Distritais que fazem as respectivas adaptações à realidade local. Cada Entidade da nossa Congregação procura encarnar os princípios, a legislação e a pedagogia da formação dehoniana na sua própria realidade a fim de que se formem religiosos capazes de viver o nosso carisma no contexto no qual se encontram e ao qual são chamados a servir.

Logo CongregaçãoAs grandes e rápidas transformações do mundo de hoje interpelam a Igreja e influenciam a formação abrindo espaço para questionamentos e novas perspectivas. Para a Congregação este é um momento que impulsiona à conversão a um estilo de vida credível pelo testemunho dos valores do Reino inspirado no Fundador. Por isso hoje entendemos a nossa formação em constante estado de renovação.

Gimesson

A experiência e os princípios formativos da Congregação enraízam-se na identidade própria do nosso “ser e fazer” dehoniano. Somos “oblatos” e fazemos “reparação”. Segundo o carisma do nosso Fundador Padre Dehon, seguimos a Cristo para instaurar o Reino do seu Coração. Por isso a nossa formação procura formar homens de corações novos para levar o amor do Coração de Deus ao coração das pessoas e do mundo.

Pe. Gimesson Eduardo da Silva, SCJ

Colégio Internacional Leão Dehon – Roma

[1] Cf. RFG 1a; PC 2-4.

[2] RFG 1.1d.

[3] RFG 1.1f.

[4] Aprovada “ad experimentum” pelo Governo Geral em 1987. Confirmada pelo Capítulo Geral de 1991. Edição atual aprovada em 1994.

[5] DG 91.1.

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s