BRE: Vigília Dehoniana

O 14 de março de 2014 será para nós, não apenas um momento de lembrar nosso Fundador, mas também de nos alegrarmos pelos Votos perpétuos e os Ministérios do Fr. Luiz Alípio Neto SCJ, que serão celebrados na Igreja da Virgem Mãe dos Pobres em João Pessoa.

Todos estão convidados a participar desta celebração.

Mas também somos convidados a nos preparar espiritualmente para esse dia através da carta do Superior Geral e, onde for possível, pela celebração da Vigília dehoniana. Segue abaixo o roteiro da Vigília dehoniana.

Aproveitemos essa ocasião para nos encontrarmos, nos alegrarmos e celebrarmos juntos nossa vocação dehoniana.

De antemão, desejando a todos Boas Festas, os saúdo no Coração de Cristo!

VIVAT COR IESU!

Pe. Carlos Alberto da Costa Silva SCJ

Superior Provincial SCJ – BRE

VIGÍLIA 14 MARÇO 2014

Imagem

VIGÍLIA 14 MARÇO 2014

Diversos dons e ministérios:

uma só Família

 Introdução ao espírito da vigília

No dia 14 de Março, recordamos, não só o nascimento do nosso fundador, Leão Dehon, mas também o nascimento da nossa vocação. Ao comemorar estes acontecimentos, rezamos para que esta vocação continue a viver noutras pessoas, e lembramos o dever de ajudar outros – que têm formas diferentes de vida nos diversos lugares que servimos – a encontrar a sua própria vocação. (Carta do Superior Geral e seu Conselho para o dia 14 de Março de 2014).

Ambientação

I – EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Cântico

Oração de louvor e Bênção

P/ Irmãos,

louvemos e bendigamos Jesus Eucaristia,

Rochedo espiritual que nos sacia,

Pão vivo que nos alimenta,

Companheiro da nossa peregrinação rumo à casa do Pai.

Oremos e digamos:

 R/ Nós vos louvamos e bendizemos!

Jesus, esplendor da glória e imagem fiel do Pai.

  • Jesus, âncora da nossa vida, esperança segura e firme, penetrada no coração de Deus.
  • Jesus, que com uma só oferta, tornastes perfeitos para sempre os que são santificados.
  • Jesus, que dissestes a Simão Pedro e a André, seu irmão: “Vinde comigo e Eu farei de vós pescadores de homens”.
  • Jesus, Filho de Deus, que à hora em que Lhe apraz, diz a todos nós: “Ide vós também para a minha vinha”.
  • Jesus, que na diversidade de dons e ministérios, nos chamais a formar um só corpo.

 – Tempo de silêncio, louvor, bênção, adoração –

 II – LITURGIA DA PALAVRA

I LEITURA: 1 Cor 12, 3b-7.12-13

 «Todos nós fomos batizados num só Espírito, para formarmos um só Corpo»

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Irmãos:

Ninguém pode dizer «Jesus é o Senhor»

a não ser pela ação do Espírito Santo.

De facto, há diversidade de dons espirituais,

mas o Espírito é o mesmo.

Há diversidade de ministérios,

mas o Senhor é o mesmo.

Há diversas operações,

mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.

Em cada um se manifestam os dons do Espírito

para o bem comum.

Assim como o corpo é um só e tem muitos membros

e todos os membros, apesar de numerosos,

constituem um só corpo,

assim também sucede com Cristo.

Na verdade, todos nós

– judeus e gregos, escravos e homens livres –

fomos batizados num só Espírito,

para constituirmos um só Corpo.

E a todos nos foi dado a beber um único Espírito.

Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL           Salmo 103 (104), 1abc.24ac.29bc-30.31.34

R/ Mandai, Senhor, o vosso Espírito,

e renovai a terra.

Bendiz, ó minha alma, o Senhor.

Senhor, meu Deus, como sois grande!

Como são grandes, Senhor, as vossas obras!

A terra está cheia das vossas criaturas.

Se lhes tirais o alento, morrem

e voltam ao pó donde vieram.

Se mandais o vosso espírito, retomam a vida

e renovais a face da terra.

Glória a Deus para sempre!

Rejubile o Senhor nas suas obras.

Grato Lhe seja o meu canto,

e eu terei alegria no Senhor.

P/ Oremos:

Senhor, nosso Deus, que pela ação do vosso Espírito,

nos chamais a proclamar  “Jesus, Senhor”,

segundo a diversidade dos dons e ministérios, que,

pelo mesmo Espírito, nos distribuís,

fazei que cada um de nós vos agrade

na forma de vida cristã a que foi chamado,

vivendo em consciência reta, com toda a dignidade,

na fidelidade ao próprio ministério,

certos de que formamos um só Corpo,

uma só Família.

Nós vo-lo pedimos por Jesus Cristo, nosso Senhor.

R/ Amém.

– Tempo de silêncio –

EVANGELHO                                                                                   Mt 20, 1-16a

 «Serão maus os teus olhos porque eu sou bom?»

 Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo,

disse Jesus aos seus discípulos a seguinte parábola:

«O reino dos Céus pode comparar-se a um proprietário,

que saiu muito cedo a contratar trabalhadores para a sua vinha.

Ajustou com eles um denário por dia e mandou-os para a sua vinha.

Saiu a meia-manhã,

viu outros que estavam na praça ociosos e disse-lhes:

‘Ide vós também para a minha vinha, e dar-vos-ei o que for justo’.

E eles foram.

Voltou a sair, por volta do meio-dia e pelas três horas da tarde, e fez o mesmo.

Saindo ao cair da tarde,

encontrou ainda outros que estavam parados e disse-lhes:

‘Porque ficais aqui todo o dia sem trabalhar?’.

Eles responderam-lhe: ‘Ninguém nos contratou’.

Ele disse-lhes: ‘Ide vós também para a minha vinha’.

Ao anoitecer, o dono da vinha disse ao capataz:

«Chama os trabalhadores e paga-lhes o salário,

a começar pelos últimos e a acabar nos primeiros’.

Vieram os do entardecer e receberam um denário cada um.

Quando vieram os primeiros, julgaram que iam receber mais,

mas receberam também um denário cada um.

Depois de o terem recebido,

começaram a murmurar contra o proprietário, dizendo:

‘Estes últimos trabalharam só uma hora,

e deste-lhes a mesma paga que a nós,

que suportámos o peso do dia e o calor’.

Mas o proprietário respondeu a um deles:

‘Amigo, em nada te prejudico.

Não foi um denário que ajustaste comigo?

Leva o que é teu e segue o teu caminho.

Eu quero dar a este último tanto como a ti.

Não me será permitido fazer o que quero do que é meu?

Ou serão maus os teus olhos porque eu sou bom?’.

Assim, os últimos serão os primeiros

e os primeiros serão os últimos».

Palavra da salvação.

– Breve momento de silêncio –

Leitura da Exortação Apostólica “Vita consacrata”

Um dos frutos da doutrina da Igreja como comunhão, nestes anos, foi a tomada de consciência de que os seus vários membros podem e devem unir as forças, numa atitude de colaboração e permuta de dons, para participar mais eficazmente na missão eclesial. Isto concorre para dar uma imagem mais articulada e completa da própria Igreja, para além de tornar mais eficiente a resposta aos grandes desafios do nosso tempo, graças ao concurso harmonioso dos diversos dons.

Os contactos com os leigos, nos Institutos empenhados na vertente do apostolado, traduzem-se em formas de colaboração pastoral… Hoje alguns Institutos, frequentemente por imposição das novas situações, chegaram à convicção de que o seu carisma pode ser partilhado com os leigos. E assim estes são convidados a participar mais intensamente na espiritualidade e missão do próprio Instituto (VC 54).

– Breve tempo de silêncio –

Cântico

Oração em dois coros

1. Senhor Jesus, com todos os nossos irmãos cristãos

proclamamos que sois o Homem Novo, em quem o Pai manifestou o seu amor.

2. Pela Incarnação, unistes-vos ao homem, trabalhastes com mãos de homem;

pensastes com mente de homem, agistes com vontade de homem; amastes com coração de homem.

1. Fizestes-vos verdadeiramente um de nós, em tudo semelhante a nós,

exceto no pecado.

2. O vosso caminho é o nosso caminho, que desejamos percorrer.

1. Dai-nos a graça de viver o nosso batismo, conscientes da vocação e da missão que nos confiais.

2. Como discípulos do P. Dehon queremos fazer da união convosco, no vosso amor ao Pai pelos homens, o princípio e o centro da nossa vida.

1. Ajudai-nos a crescer no amor, para podermos responder adequadamente aos que sofrem e precisam da nossa solidariedade.

2. Mandai à nossa família aqueles e aquelas que julgardes necessários para realizarmos a missão que, por meio do P. Dehon, nos confiastes.

1. Dai-nos a graça de vivermos empenhados na promoção da justiça e da paz, para que o Reino do vosso Coração

1.2. Se concretize nas almas e nas sociedades. Ámen.

– Tempo de silêncio e oração pessoal –

 III – ORAÇÃO UNIVERSAL E BÊNÇÃO (cf. AG 23-24)

 Oração universal

Irmãos:

P/ Embora a todo o discípulo de Cristo incumba o dever de propagar a fé conforme as suas possibilidades, Cristo Senhor chama sempre de entre os discípulos os que quer, para estarem com Ele

e os enviar a evangelizar os povos.

Dirijamos-lhe, hoje, a nossa oração confiante pela Igreja

e pela nossa Família Dehoniana.

Oremos e digamos:

R/ Ouvi-nos, Senhor.

01. Senhor, que, por meio do Espírito Santo,

repartis os carismas como quereis, para utilidade comum,

inspirai no coração dos vossos fiéis a vocação missionária

para que o vosso amor redentor

seja anunciado e acolhido

por todos os homens e mulheres do mundo. Oremos

02. Pelos Sacerdotes do Coração de Jesus,

marcados com uma vocação especial

para que, fiéis ao carisma e à missão recebidos,

por meio do P. Dehon,

trabalhem ardorosamente

para que a oblação dos gentios seja aceite

e santificada no Espírito Santo. Oremos

03. Pela Família Dehoniana, para que,

seguindo os passos de seu Mestre,

manso e humilde de coração,

mostre que o seu jugo é suave e a sua leve carga

e viva uma vida verdadeiramente evangélica,

com muita paciência, longanimidade,

suavidade e caridade sincera. Oremos

04. Pelos jovens e adultos que,

dotados de índole natural conveniente

e das qualidades e talentos requeridos,

estejam prontos a empreender o trabalho

de anunciar o Evangelho da Alegria

como sacerdotes, religiosos ou leigos. Oremos

05. Por todos aqueles que já iniciaram o caminho da vocação,

para que, partilhando a vida e a missão

d´Aquele que a Si mesmo Se aniquilou tomando a forma de servo,

estejam dispostos a perseverar toda a vida na sua vocação,

a renunciar a si mesmos e a todas as coisas,

e a fazer-se tudo para todos. Oremos

 06. Pelos missionários e missionárias

para que, anunciando o Evangelho aos povos,

deem confiadamente a conhecer o mistério de Cristo,

de quem são legados,

de tal modo que n’Ele tenham a audácia de falar como é necessário,

não se envergonhando do escândalo da cruz. Oremos

P/ Senhor, nosso Deus,

que concedeis à vossa Igreja os dons sagrados,

conservai nela a graça que lhe destes,

para que floresça sempre em nós o dom do Espírito Santo,

que nos inspire e dê força

para testemunhar Jesus Cristo, vosso Filho

e a sua obra redentora no coração do mundo.

R/ Amém.

Tantum ergo

Bênção eucarística

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s