BRE – 26 de Novembro, DIA DA MEMÓRIA DEHONIANA

DIA DA MEMÓRIA DEHONIANA

MD

 “O Governo Geral assume esta recomendação com um profundo sentido de agradecimento a Deus por todos os missionários e religiosos dehonianos que foram e são fiéis ao carisma e convida todos a honrar de modo particular os nossos mártires. Por isso, na sessão do Conselho Geral de 11 de Maio de 2004, instituiu o DIA DA MEMÓRIA DEHONIANA, que passará a ser celebrado todos os anos no dia 26 de Novembro, dia da morte de Mons. Wittebols scj.

A morte de Mons. Wittebols, com parte do seu presbitério, fala-nos de um testemunho na Igreja e com a Igreja, uma Igreja mártir e missionária. Por isso, cada missionário que deixa a sua pátria e a sua cultura para partilhar a sua vida com um povo de uma outra cultura, servindo-o pelo anúncio do Evangelho, acredita com a Igreja que conhecer e seguir Jesus Cristo é um bem para cada pessoa, povo e cultura. Este bem merece o dom da vida. A sua morte reassume a missão que a Congregação realizou no Congo graças a muitos dos seus filhos, fazendo germinar as sementes do Verbo” (AG), em terras nas quais a Igreja não tinha ainda chegado, sementes que se tornaram árvores frondosas, como a Arquidiocese de Kisangani, a Diocese de Wamba e outras. A sua morte é, igualmente, um momento alto da missão que a Congregação leva a cabo na Igreja, em muitos países e através de muitas formas de apostolado.

Que esta data seja oportunamente preparada e celebrada em todas as comunidades, sobretudo nas comunidades de formação, assim como com os leigos que colaboram nas nossas atividades pastorais, educativas e missionárias. Que a celebração deste dia se torne uma ocasião para conhecer e recordar aquelas pessoas que marcaram a história da Província/Região/Distrito e Congregação, ou uma determinada obra ou setor da nossa missão.”

¹ Trecho da Carta do Superior Geral e Conselho da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, Pe. José Ornelas de Carvalho, scj, de 31 de maio de 2004, para a instituição da Memória Dehoniana.

CENTENÁRIO DA MORTE DO PADRE ANDRÉ PRÉVOT

 andre prevotChamava-se Leão. Seus pais foram Simão e Ana que tiveram 16 filhos, dos quais Leão foi o sétimo. Nasceu em 09 de novembro de 1840 em Le Teil, Viviers, na França. A infância foi de genuína vida cristã, com missa diária matinal e rosário à noite.

A família dependia do transporte de mercadorias que o pai fazia pelo Rio Ródano. Numa improvisa enchente, os bens da família foram perdidos e a vida tornou-se de grande penúria.

Aos 15 anos Leão entrou no Seminário Diocesano de Viviers, com os estudos custeados pela tia, Irmã Maria do Coração de Jesus. Sua dedicação e êxito valeram-lhe vários prêmios. Em 1859, atraído pela espiritualidade da Companhia de Jesus, especialmente a devoção ao Coração de Jesus, pediu ingresso no Noviciado Jesuíta em Aix-en-Provence. Depois de um ano os superiores aconselharam-no a não ingressar na Companhia alegando que tendia mais à vida contemplativa do que ao apostolado característico dos Jesuítas. Para ajudar a família e arcar com os gastos dos estudos tornou-se uma espécie de “preceptor”.

Foi ordenado padre aos 10 de junho de 1865 para continuar a ensinar e dedicar-se aos pobres, ele que da pobreza conhecia a dureza. O bispo nominou-o capelão das Irmãs Ursulinas de Aix-en-Provence, quando se tornou conhecido pelo serviço aos pobres e pela devoção ao Coração de Jesus, notadamente com a pregação do mês do Coração de Jesus em 1873. Dedicou-se às Conferências Vicentinas, ao Apostolado da Oração e à Adoração Perpétua. Contudo, queria ser religioso do Coração de Jesus. Aproximou-se de alguns clérigos e religiosas que pretendiam fundar a Obra dos Sacerdotes Oblatos, o que o levou a fazer mestrado em teologia, na Universidade Gregoriana de Roma.

De volta à França, ocupou-se com múltiplas atividades ao passo que sobre os tais Oblatos não se soube mais. Já com 45 anos, enquanto era capelão em Nîmes, no dia 17 de maio de 1885, foi surpreendido por uma carta proveniente de São Quintino. Era Padre Dehon que lhe propunha participar de sua obra dos Oblatos do Coração de Jesus, fundada a 28 de junho de 1878. Acolhido por Padre Dehon tomou o nome religioso de André e foi à Holanda, fazer o noviciado. Emitiu os primeiros votos no dia 22 de setembro de 1885.

Pouco tempo depois, aos 46 anos de idade, veio a ser mestre de noviços. Foi exímio formador dos novos religiosos da Congregação ensinando pelo exemplo e pela palavra a doutrina da consolação, do amor e da reparação. Bom e humilde sabia ser exigente e decidido, sem perder seu habitual e sereno sorriso. Em seguida o Noviciado foi transferido para Sittard, onde o “Bom P. André” plasmou várias gerações de religiosos, padres, muitos missionários e alguns bispos.

No dia 24 de setembro de 1907, tendo sido mestre de noviços por 21 anos na Holanda, P. André partiu para Bélgica ainda como mestre de noviços. Deixou este ministério quando, com a divisão da Congregação em duas Províncias, foi escolhido superior da Província Ocidental. Apesar dos sofrimentos que lhe causavam as viagens de trem visitava, anualmente, todas as comunidades da Província. Além da sua notável vida exemplar foi grande pregador de exercícios espirituais tanto que era solicitado a ministrar cursos e pregar retiros também para outras Congregações. Por algum tempo foi também Assistente Geral da Congregação (até 1913) o que lhe exigiu viagens pela Europa, apesar da precária saúde que procurava disfarçar.

No dia 23 de novembro de 1913, em Brugelette, Bélgica, teve que acamar-se por conta de mal estar generalizado. Lúcido até o final, quando tentava dirigir-se à capela, foi acolhido na Casa do Senhor, a 26 de novembro do mesmo ano de 1913. Três dias depois realizaram-se os funerais, com a presença de seu amigo, o Fundador Padre Dehon, e representantes de todas as casas da Congregação. Em 1936 seus restos mortais foram transladados à capela do Noviciado de Sittard.

26 de novembro: Dia da Memória de todo os Mártires  Dehonianos.

MDDia 26 também terá para nós da BRE um duplo sentido, pois além da Memória dos Mártires Dehonianos, Celebraremos o Encerramento do nosso Ano Dehoniano.  O Evento acontecerá, amanhã, dia 26, na Igreja Nossa Senhora do Rosário, Várzea-Recife-PE e, no Provincialado da BRE, das 16 às 22h.

Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s